Reserva do Itamaracá

Veja dicas para decorar a sua casa com temas animais

Ter animais em casa não precisa significar ser dono de um pet que perambula pelos cômodos. Em quadros, esculturas, tapeçarias e peças de artesanato, os temas animais podem ser usados como elementos de decoração em diversos ambientes.
 
Referências:
“As alternativas vão desde as não tão politicamente corretas, porém tradicionais, cabeças empalhadas (que ganharam releituras em MDF, acrílico e pelúcia) até estátuas e quadros, que são bem conhecidos e utilizados em diversas escalas”, diz a arquiteta Ana Paula Barros, de Campinas (SP).
 
As referências também variam muito: há as mais literais e as um pouco mais estilizadas – e é justamente essa diferenciação que dará o tom da decoração, podendo ser algo mais clássico e rebuscado ou mais informal e divertido.
 
A arquiteta Rita Diniz, também de Campinas, lembra ainda que é possível utilizar peles sintéticas para fazer almofadas, mantas e revestir pufes, o que dá um toque de sofisticação e aconchego. Tecidos com estampas de animais como onça, avestruz, cobra e zebra podem revestir a frente de gavetas, cabeceiras de cama e até mesmo poltronas.
 
“Os novos papéis de parede também estão maravilhosos, desde figurativos delicados, até os mais sóbrios, imitando couros. Alguns chegam a dar a sensação de pelos”, afirma.
 
Projeto
Em um projeto que fez para a Campinas Decor 2012, Ana Paula criou um ambiente chamado Quarto dos Avós, que conta com um quadro da artista Vera Keller chamado “Elefante”.
 
“A obra foi escolhida tanto pela delicadeza do traçado que, com um único tom em diferentes intensidades, reproduz as texturas e sombras do animal, como pela figura em si. Sendo a proposta do ambiente um dormitório para um casal na melhor idade, o elefante representa longevidade, prosperidade e sabedoria”, justifica.
 
Para ela, em qualquer situação os temas inspirados em animais tornam o ambiente mais caloroso, e, dependendo da escolha da peça, pode ser algo impactante e de grande destaque.
 
O ideal, claro, é que os motivos combinem com a decoração do cômodo. Bichos de pelúcia, por exemplo, costumam ir bem em quartos ou até salas de TV, mas podem ficar estranhos numa sala de visitas ou na cozinha.