Reserva do Itamaracá

Intervenções pontuais na planta e decoração contemporânea criam espaços acolhedores

 
O edifício ainda estava em obras quando o casal proprietário, com dois filhos pequenos, procurou a designer de interiores para projetar as adaptações na planta e a decoração. Logo nos primeiros contatos, foi definido o que os clientes queriam para a nova morada: espaços amplos, integrados e sofisticados, mas acolhedores e adequados para o dia a dia e receber os amigos. “Foi um projeto completo”, conta a profissional, “fizemos toda a parte de layout, escolha dos acabamentos, desenho da marcenaria, projetos de iluminação e de automação, compra de mobiliário e decoração”.
 
Para ver e usar 
Em seu trabalho, Marília Veiga lança mão da contemporaneidade e da funcionalidade para criar ambientes elegantes, mas sempre acolhedores. “Não crio espaços para serem apenas contemplados, mas principalmente para serem vividos”, salienta.
 
Na escolha do mobiliário, a designer opta pelo desenho italiano, por suas linhas retas e contemporâneas, e também por sua funcionalidade e praticidade. Na decoração, procura mesclar peças contemporâneas, de design apurado, com as de conformação mais clássica.
 
Pequena reforma 
A planta original do apartamento sofreu algumas pequenas intervenções: a sala íntima deu lugar ao home theater e a passagem desse espaço para a cozinha foi eliminada. No mesmo ambiente, essa nova parede divisória foi “afastada” tomando 50 cm do espaço da cozinha, o suficiente para abrigar o nicho onde foi embutido o móvel para a televisão e os demais equipamentos.
 
A área da despensa foi também reduzida para a criação, na sala, de um segundo nicho com prateleiras. E, no espaço vazio frente ao lavabo, foi instalada a adega e um armário.
 
Finalmente, as duas suítes das crianças foram integradas, transformando-se em um dormitório único, contíguo a uma sala de brinquedos. Enquanto, na entrada do apartamento, o vão ganhou uma porta pivotante.
 
Lareira com acabamento em madeira e poltronas da Poliform, em um dos terraços do apartamento decorado por Marília Brunetti de Campos Veiga
 
Em todos os ambientes, o forro foi rebaixado com gesso e, na área social, uma sanca domina todo o perímetro. Os ambientes de estar, jantar e o home theater foram integrados pelo piso de mármore travertino italiano, com acabamento bruto e rodapés do mesmo material.
 
As suítes receberam piso de madeira do tipo tacão, de 40 cm por 7 cm, e nos demais ambientes foi aplicado piso cerâmico (na cozinha, área de serviço e banheiros) e porcelanato (nos terraços).
 
Nas paredes, para fugir do branco tão comum nos últimos anos, Campos Veiga utilizou a cor “Tapete de juta” (código c-147), da Suvinil, que proporcionou mais requinte aos ambientes.
 
Mobília 
Uma das singularidades desse projeto de interiores é o trabalho de marcenaria, que aparece em vários ambientes: no home theater (painel, móvel e porta de correr); na adega e armário; no revestimento do lavabo; na estante embutida no nicho do living; no bufê da sala de jantar e na porta de entrada. A marcenaria foi empregada também no terraço principal, que tem a parede da lareira revestida de madeira de demolição. Para este terraço, de 30 m², abre-se o amplo espaço estar/jantar, com 65 m².
 
No living, o mobiliário confortável e sóbrio é realçado por almofadas e objetos de cores vivas, que definem a identidade do projeto. Nesse ambiente, se sobressai o grande painel díptico, pintado especialmente para o projeto pela artista plástica Flávia Brunetti, com as mesmas cores utilizadas na decoração.
 
Outro destaque do estar é a tela em preto e branco do pintor Teruo Yamada. No ambiente de jantar, além da mesa e cadeiras com design elegante e contemporâneo, destaca-se o bufê verde jade desenhado pela própria Marília Veiga e executado pela Marcenaria Dantones.
 
O apartamento dispõe ainda de um sistema de automação desenvolvido pela Cynthron, que controla a iluminação (combina embutidos, pendentes e plafons), o vídeo e o sistema de áudio. (Éride Moura – do UOL, em São Paulo)
 
Fonte: uol.com.br